All Categories


Pages


Etnoconhecimento De Plantas Medicinais



SANTOS, F. S. D. dos : ‘Tradições populares de uso de vegetação medicinais na Amazônia’. Durante a realização da busca constatou-se que as pessoas que lá moram fazem uso das plantas medicinais incessantemente, para remediar diversos tipos de enfermidades como:dores de carola, cólicas menstruais, pressão alta, verminoses, dores de ouvido, complicações de pele etc.

Desvendar-se-á se a quarentena passada na selva provocou, em Luis Chato, alguma espécie de acrisolamento místico nos moldes da tradição judaico-cristã e fez dele um varão melhor Tentar-se-á explicar, ainda, como curso de plantas medicinais e também o que varão amazônico acabou desenvolvendo um espantoso conhecimento sobre a farmacopeia e medicina natural, bem como se analisará aspectos linguísticos presentes na linguagem amazônica.

Esperança no padroeiro, promessas, nem sei quantas besteiras, quem nem não era de rezar, resultado qualquer (...) Não era muito de reza, nem não adianta (...) Na devoção de São Francisco, pago é esse; santo ingrato (...) Que reza, que santo, que zero, estou farto de pedir, auxílio não (JACOB, 1968, p.175, 177).

As próprias redes de transmissão destes conhecimentos estão comprometidas, pois eles são passados oralmente, de geração em geração, cultuando a crédito em sua eficiência, coisas que, mantidos os atuais rumos políticos e sociais, estão fadadas a desvanecer nas brumas do tempo.


Outras espécies que possuem relevante potencial mercantil na zona são: andiroba (Carapa guianensis) com 73,3% de freqüência absoluta, seguida pelo pau mulato (Callycophyllum spruceanum) com 63, 3% e a pracuúca (Mora paraensis) com freqüência absoluta de 56,7%.




About the Author

Kian
4 0 anos Oficial curso de plantas medicinais Justiça ou o xerife (Aus) / Tribunal Bibliotecas Especialista (NZ) Duane Stanforth

Comments


No comments yet! Be the first:

Your Response



Most Viewed - All Categories